Como alarguei meu cuzinho.


BY: zensilva Oi pessoal, após minha primeira experiência sexual amarguei um bom tempo sem poder sair como Letìcia, pois estava na época do vestibular e não conseguia tempo para passear. Quando consegui passar no vestibular, ganhei de meu pai um carro, pois precisava de um para poder me deslocar até a Universidade, tinha na época 18 anos, com isso consegui ter mais liberdade para sair com mais segurança de casa. Numa tarde, estava eu sozinha em casa assistindo um filme erótico quando comecei a sentir um tesão danado, meu cuzinho não parava de piscar, ficava imaginando ser eu a garota que estava sentada em cima daquele cacete lindo, quase gozei de tesão. Resolvi arriscar, pois estava sozinha em casa, desliguei a TV, e fui para meu quarto colocar minhas roupas preferidas. Havia comprado uma meia fina branca 7/8 rendada no punho, cinta-liga, espartilho e uma calcinha de rendinha e seda toda branca, um conjunto de mini saia azul e uma blusinha toda em renda e seda ( muito Chique ), coloquei somente a langerie para que eu pudesse sair de casa, pois para meus vizinhos, sou ainda considerado o garoto rebelde, coloquei um agasalho para disfarçar, o restante das roupas estavam numa mochila. Rodei por algum tempo até achar um local em que eu pudesse colocar o restante das roupas; foi no estacionamento do Shopping Ibirapuera, tirei rapidamente meu agasalho e coloquei a blusinha e a mini saia, tinha comprado um par de peitinhos artificiais para poder usar nessas ocasiões e um par de sapatos de salto alto, tipo agulha, passei um batom, coloquei meus brincos e pronto Letìcia estava à solta novamente, só que agora eu estava esfomeada por um homem. Gente, eu fiquei uma gata, estava surpresa com o resultado, fui andando pelas lojas do Shopping, estava precisando comprar algumas langeries para aumentar meu guarda roupa, estava diante de uma vitrine, quando reparei num rapaz que não tirava os olhos de mim, era um negro lindo, olhei para ele e arrisquei um sorriso tímido, do qual ele correspondeu, veio para perto de mim e começou a puxar conversa. Ele me perguntou se estava sozinha, e se podia me acompanhar, fiquei um pouco assustada, mas como meu cuzinho não parava de piscar resolvi arriscar a sorte, entrei com ele numa loja de langeries e comecei à escolher algumas para testar a reação dele. Ele começou a ficar excitado, percebi o volume crescer e dentro da loja mesmo rocei minha bundinha naquele cacete lindo, ele ficou atônito mas não perdeu a compostura. Saímos da loja abraçadinhos e fomos para o meu carro, no caminho confessei que era travesti, ele aparentemente não ficou surpreso e me disse que não tinha problema, que queria me comer de qualquer jeito, saímos do Shopping e fomos para a Marg. Tietê, onde se localizam os motéis de São Paulo, entramos no Motel Guaruja, eu estava com a carteira de identidade da minha irmã, sou muito parecida com ela. Entrando no quarto, meu macho começou a passar a mão no meu cuzinho me deixando louca de tesão, comecei a alisar aquele lindo cacete que ele tinha, quando ele pôs para fora fiquei assustada, era enorme, tentei parar mas ele não me deixou, disse que era carinhoso e não ia me machucar, o tesão foi mais forte, ajoelhei diante daquele maravilhoso objeto e comecei a chupar com uma gula incontrolavel, era o pênis mais grosso e comprido que eu já havia chupado, passava minha língua pela cabeça, descia até chegar nas bolhas, chupava-as e subia novamente, tentei colocar aquele cacete todo na boca, mas não consegui, engasguei duas vezes e não consegui engolir tudo, meu Homem me olhava com tesão, gemia de prazer enquanto eu passava minha língua por toda a extensão de seu mastro, após algum tempo ele me levantou me agarrou por traz e enfiou seu dedo no meu cuzinho, nunca senti tanto tesão, rebolava como louca enquanto ele enfiava seu dedo em mim, ele me pediu para que tirasse só a calcinha pois ele queria me comer como mulherzinha, fui para cama e fiquei de quatro aguardando meu macho, ele veio devagar, colocou a ponta do pênis no meu cú e foi enfiando devagarinho, gente que dor que senti, fiquei sentando de lado por uma semana, mas devagar e com geitinho ele foi enfiando até colocar tudo dentro de mim, comecei a rebolar e ele foi bombando cada vez mais forte, ele empurrava aquele mastro negro com toda a força e eu heroicamente e com prazer recebia, ele me chamava de sua cadélinha loira ( eu adoro que me chamem de puta e cadela ) e putinha, os movimentos foram aumentando até ele gozar dentro de mim, senti seu jorro por dentro, que dor terrível que sentia, gozei quase ao mesmo tempo sem me tocar. Ficamos a tarde inteira e parte da noite transando em todas as posições. Encontro com meu macho até hoje, só que agora ele traz um primo dele que tem as mesmas dimensões que ele e me obriga com prazer a transar com os dois ao mesmo tempo, mas essa é uma história para outro dia. Tudo o que foi escrito é a mais pura verdade, meu cuzinho que diga, por isso tenho que ser discreta e não por meu nome verdadeiro. Por favor, se algum homem, de boa dimensão ( 20 cm no mínimo ) quiser me conhecer deixe resposta que eu darei um retorno. De preferência negro.


Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
 


Próximo Conto

Uma paixão antiga


Online porn video at mobile phone