Guerreiros Wasaby - Jack, Jerry e Milton


BY: adamdavenport609 O treino havia sido pesado. Jack, Jerry e Milton estavam todo suados. Entraram no vestiário masculino onde retiram as roupas um na frente do outro.
Milton era o mais mirrado, ainda que tivesse um charme meio afeminado. Ele tinha sempre vergonha de mostrar seu pau que era o menor deles, ainda que ele fosse oque mais manjasse rolas deles.
Jerry não era tão musculoso quanto o Jack, mas seu abdome era bem definido e adorava se exibir sempre que podia, era difícil ver seu pau sem ao menos estar meia bomba, oque sabia que dava material pro jovem Milton se tocar a noite.
Já Jack tinha um corpo forte e o maior membro da equipe, parte do fato dele gostar de artes marciais e seu desejo de dominador, imobilizar um homem junto ao seu corpo era excitante e tinha que segurar para não ficar de pau duro no meio das lutas enquanto segurava em seus braços fortes algum macho.
Todos eles agora se encontravam na ducha após um longo treino se ensaboando.


MILTON
Estou entre dois deuses Gregos. Jack era incrível e possuía um corpo de se admirar, Jerry tinha um corpo gostoso e um jeito safado que fazia ele me visitar quando me dedo.
Tenho esses dois homens pelados e molhados comigo, mas não tenho coragem de olhar. Só me lavo enquanto imagino eles se lavando, o pensamento faz escorregar o sabonete, me abaixo pra pegar e escorrego ficando de quatro.
Olho pro lado pra ver se o Jerry não notou, mas ele notou, ele estava de pau duro, um pau torto pra direita, coberto por grossas veias e de cabeça arroxeada farta, ele me olhava com aquela cara safada que me deixava louco.
Quero dar para ele ali mesmo, mas lembro então do Jack. Ele era todo macho e fazia as meninas suspirarem. Ele era todo macho e já ouvi ele fazer uma ou outra piada machista.
Mas tenho uma (prazerosa) surpresa ao olhar pro lado. Jack estava a centímetros de mim e acariciando o maior pênis que já vi. Ele era muito inchado com uma grande veia pulsante e acabando em uma pequena cabeça avermelhada.
- Vamos lá cara, é só cair de boca, eu sei que Cê ta afim.
Eu estava mesmo, não conseguia parar de encarar e minha boca nunca esteve tão molhada. Meu cérebro que era meu maior orgulho parecia sopa agora.
- vamos -ele pega minha cabeça e empurra me ajudando a tomar a decisão abro a boca cada vez mais, mas o pau do Jack era realmente volumoso. Chupo até metade dele e volto, Jack geme e sua mão começa a empurrar mais fundo, sentia sua cabeça tocar o fundo da minha garganta despejando diretamente pré-gozo nela.
Tento tirar aquele pau do fundo da minha garganta, mas Jack empurrava forte, meus olhos lacrimejam até que ele tenha a piedade de deixar eu retirar, formando um cordão de baba e porra puxo forte o ar que me faltava nos pulmões mas não tenho muito tempo para me recuperar.
- Ei Jack - Jarry me pega pelos cabelos e vira para ele, seu pau torto, veiudo e cabeçudo pulsava enquanto tocava minha bochecha. - você não vai se divertir sozinho.
Ele segura os dois lados da minha cabeça e estoca seu pênis em mim, fudendo a minha boca. Eu olhei pra cima e vi seu corpo todo molhado, a forma como ele mordia o lábio inferior e fechava os olhos, era incrível pra mim imaginar que eu estava dando todo aquele prazer pra alguém.
- Ei Jerry, acho que podemos... dividir - Jack pega sua mão e enfia dentro da minha boca ainda com o pênis do Jerry lá e a puxa abrindo espaço estreito por onde ele enfiou seu pau esticando minha boca o máximo que ela podia.
Os dois agora estão um do lado do outro enquanto eu chupo as duas rolas ao mesmo mesmo tempo. Posso sentir gosto dos dois espermas se misturando dento da minha boca. Ambos os paus além de esfregarem na minha boca se esfregam um no outro.
Olho pra cima e imaginem minha surpresa ao ver Jack e Jerry se beijando enquanto fazem pequenas pausas pra falar safadezas um para o outro.


JACK
- Você tem um corpo ótimo - passo a mão na barriga dele dotada pelos fortes músculos abdominais - além de um bom traseiro -passo minha outra mão pela sua bunda deixando escorregar o dedo médio fazendo-o saltar oque fez o Milton quase engasgar - acha que pode usar suas habilidades de dança e rebolar no meu pau depois? - meu dedo entra fácil dentro dele oque me faz pensar que no minimo ele já se dedou antes.
- Eu posso fazer tudo oque você quiser Jack - ele troca outro beijo - Desde que - ele da um forte tapa na minha oque me faz perder equilíbrio e tocar a ponta da cabeça do meu pau no fundo da garganta do Milton onde ela jorra um jato aleatório dentro dele que bebe tudo.
- tudo bem Jerry, desde que eu possa... você sabe - enfio o dedo mais fundo - ser o primeiro.
Jerry respondeu com um beijo. Então tiro meu pau de dentro da boca de Milton. Milton fez um excelente trabalho, meu pau estava tão molhado de baba que escorria e caia no chão se mostrando perfeitamente lubrificado para invadir o cuzinho do dançarino.
Pego Jerry com força e o jogo contra a parede molhada da ducha. Seguro as ancas da bailarina e estava bem embaixo do chuveiro que derramava aguá molhada pelo meu forte corpo. Estava pronto para adentrar por dentro dele quando o Milton choraminga me lembrando da existência dele naquele momento.
- e eu faço oque?
Jerry que estava prestes a ser fodido resolve então me fuder primeiro.
- pode ir preparando o cuzinho do Jack - ele sorri com aquele sorriso debochado - quero ele bem preparado pro meu pau.
Isso é tudo que preciso, me vingo pressionando ele na parede e o arrombando bem aos poucos, enfiando a cabecinha e fazendo ele implorar mais.
- vai Jack, enfia tudo logo - eu me segurava só com a cabecinha, adorava ver ele sedento por mim.
- você quer mais? Pode implorar, pede por mais de mim, me diz que você... - mas nesse momento algo interrompe meus planos.
Milton, muito prestativo, se abaixa segurando meu farto traseiro e o abre, até ai tudo bem, mas minha falta de experiência na região traseira não estava preparada para a linguá dele lambendo minhas pregas apertadas.
O susto faz com que deslize de uma só vez meu pau para dentro de Jerry que se contorce pela prazerosa surpresa.
Queria continuar o dando tanto prazer, mas a recém descoberta sensação de ter o ânus lambido me rouba toda a atenção. A linguá úmida do Milton quase penetrava meu botão. Porem Jerry não choraminga e usa toda sua ginga para rebolar no meu pau oque me causa um duplo prazer.
Era tão estranha a sensação de estar tranzando pelos dois lados, afinal oque eu era? Macho ou fêmea? Passivo ou ativo? E isso importava agora? Claro que não, tudo oque importava era o êxtase que eu estava vivendo agora.
Para agradecer a ajuda de Jerry resolvo então entretê-lo de vez. Seguro suas duas pernas pra cima fazendo com que os únicos apoios que ele tivesse fossem a parede, meus fortes braços que o seguravam e meu pau que fincara como uma ancora dentro dele.
O estoco, mas outra surpresa aguarda por mim. Milton já deixara meu cu bem babado e resolve enfiar um dedo bem fundo. Cada vez que estocava o Jerry era uma volta que aprofundaria o dedo de Milton sobre mim.
Porem apesar da surpresa dessa vez não paro. Estoco Jerry e sou dedado pelo Milton. Estoco o Jerry sou dedado pelo Milton. Urro como ativo e gemo como passivo. E encontro prazeres diferentes me esperando a cada ida e volta.
Milton enfia um dedo, depois dois, três. Jerry geme, sinto o músculo de seu quadril se contrair. Tudo isso me trás até o momento de gozar.

JERRY
Jack esta metendo fundo em mim, mas não consegue esconder seus gemidos. Com toda a certeza Jack era virgem do cu oque me surpreende já que sempre pensei que ele já teria cedido alguma vez a seu mestre Rudy (embora parando agora pra pensar, Rudy não tinha muito jeito de ativo).
Eu queria fuder Jack mais que tudo e só por isso não estava se masturbando enquanto o grosso pinto de Jack esfregava contra sua próstata, dentro de si podia sentir que estava chegando perto e não tardou a hora que Jack o preencheu com jatos e mais jatos de esperma, que escorreram pelas minhas coxas quando Jack tirou de dentro de mim o seu já flácido membro.
Jack então me solta devagar e Milton termina o serviço retirando seu dedo de dentro dele.
- Ótimo, agora é a minha vez - digo virando pro Jack e plantando-lhe um beijo.
- sabe eu agora to começando a acha...
- nananinanão - vou o virando de costas - trato é trato e eu to com meu pau duro aqui - segurei minha jeba torta esfregando naquele traseiro avantajado - você não vai fugir agora.
- Bom eu prometi, seria rude recusar - diz paulativamente mudando de ideia.
- é, oque as pessoas não fazem por educação? - brinco já passando a cabeça por aquele cuzinho virgem e a pouco tempo alargado pelo Milton.
- E eu? - Milton então fala, pra falar a verdade acho que eu e o Jack tínhamos literalmente esquecidos da existência dele, porem tive uma ideia que tornaria a primeira foda ao Jack épica.
- Você, Milton, pode vir ai na frente do Jack, eu fodo o traseiro e você a boca dele - Milton sorri pela ideia, mas Jack logo protesta.
- Eiii, eu não concordei com isso.
Eu pego em seu cabelo puxando para perto seu ouvido da minha boca.
- E quem disse que você tem alguma opção Jack?
Seu corpo enrijece, e ele fala de maneira tão firme e pausada que assusta.
- Toque no meu cabelo de novo que eu acabo com sua fantasia de ativo rapidinho.
Eu quero provocar mais, mas sei que o Jack tem força para me dar um pau ali mesmo e o único que queria dar um pau ali era eu.
Seguro então na cintura de Jack e me posiciono meio de lado para facilitar a entrada do meu pau curvado dentro do cu virgem do Jack. Ele vai se abaixando aos poucos até ficar da altura do pequeno pau pálido e cogumeloso que ele pegou com um certo nojo. Milton era totalmente virgem oque somado a adolescência queria dizer que sua vida se resumia a masturbação e enfiar coisas no anus, ainda assim não imaginaria tudo oque estava acontecendo nem em um milhão de anos. Seu rosto sorridente vendo Jack encarar seu pau antes de dar uma tímida linguada (pelo jeito Jack também nunca provara o gosto de um pau antes) ele estava dando pequenas e rápidas lambidas na cabeça rosada do Milton como quem coloca um pé na água pra ver quão fria ela esta.
Adoro ver essa cena, Jack lambendo como uma cadelinha o pau curto do Milton. A cena me da tanto tesão que resolvo enfim penetrar a cabeça dentro do apertado cuzinho, causando tamanha surpresa no Jack que ele abre a boca o suficiente para engolir o pau com bolas e tudo do Milton.
Eu continuo metendo e enquanto passo minhas mãos nas musculosas costas de Jack sinto a ponta da minha rola apertar a próstata de Jack. Isso muda tudo, Jack então revira os olhos e sua boca que estava sendo fodida por Milton agora salivava tanto que escorria, o espaço úmido e gemidos abafados de Jack que produziam um calor prazeroso em seu pênis faz Milton acabar gozando. Jack cospe a porra do Milton e agora geme sem interferência.
Ele ainda estava na mesma posição e quero sentir seu corpo no meu, então eu o pego pelos cabelos, fazendo ele cerrar os dentes. Sei que ele quer protestar, mas não pode. Enquanto tivesse a próstata dele de refém ele teria que aceitar oque eu mandasse.
Estou segurando o cabelo dele de lado deixando o pescoço a mostra ao qual eu do uma longa lambida que termina num chupão.
- Pede oque você quer - digo no ouvidinho dele.
- oque?
- pede pelo meu pau.
- eu não vou pedir pelo seu...
Eu então paro de estocar deixando só a cabelinha bem as portas, nas pregas de Jack.
- NÃO PARA NÃO, POR FAVOR ME FODE - Seu cu piscava apertando, tentando puxar meu pau para mais fundo - ENFIA EM MIM.
Eu o obedeço e volto a estocar, estou perto. Jack tem uma segunda ereção que babava gozo. Milton que ainda estava de pau mole volta ao jogo abrindo a boca e deixando cair todo o gozo dentro. Ele pega o pau de Jack pela base e começa uma masturbação enquanto aguarda de boca aberta pelo seu leite morno.
Eu pego uma das pernas e levanto me dando uma posição melhor para penetrá-lo. Nesse momento ambos estamos em êxtase, mas Jack é o primeiro a gozar, jorrando jatos que não só caem na boca do Milton, mas próximo ao nariz e no olho esquerdo o fazendo ter de fechar enquanto o esperma escorria até a bochecha.
Jack amou a visão de Milton todo lambuzado com seu esperma, amou mais ainda quando ele fechou a boca que continha uma piscina de gozo e engoliu tudo como a boa puta que era.
Milton levanta aos poucos bem próximo ao Jack aproveitando a visão do seu corpo e resolve esperar eu terminar o serviço mordiscando os rígidos mamilos de Jack que agora suspira e joga a cabeça pra trás se apoiando no meu ombro.
Continuo metendo, mas não consigo mais segurar o tesão jorrando enfim a porra dentro do cu, antes virgem, de Jack. Quando tiro meu pau ainda jorrava jatos de esperma que eu passo nas mãos e lambuzo o Jack quando seguro seu rosto e planto um beijo.
- Ah cara, você me sujou todo - disse Jack
- Ah jack - digo - você já era sujo muito antes desse dia, mas se te ajuda - lambo meu esperma do rosto dele e depois o beijo.
Milton nota a brincadeira a lambe a outra face de Jack e também entra no beijo.
Estávamos agora os três em um longo beijo, jack para para lamber a face pálida de Milton que continha seu esperma e eu também lambo a outra parte. Nosso beijo estava trocando os gostos misturados de uma boca a outra. Sabíamos que apartir de agora o banho seria sempre a melhor parte do dia no dojo.
- Isso foi intenso cara - disse Jack já se separando oque faz com que eu e Milton paremos também.
- Nem me fale - Disse Milton corado
- uoou - eu disse dando meu tradicional grito
- Ah, mas antes que eu me esqueça - Jack da um forte soco na minha barriga fazendo eu perder o ar - nunca toque no meu cabelo.



Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
 


Próximo Conto

Liv e Maddie - Diggie e Joey


Online porn video at mobile phone


contos gay amigocontos gay romanticosfaxineiro gostosoconto gay padrecontos eroticos incestos gayconto erotico gay ubercontos eroticos entre irmãoscontos gays últimosencoxada gay no onibusmrpr2contos gay zoofiliacontos eróticos gay primocontos eroticos primeira vez gaypapaku contoscontos glsconto erotico no tremcontos eroticos a forcacontos crossdressersconto erotico gay caminhoneirocontos gay ultimocontos eroticos meu cunhadocontos eroticos de crossdressercontos eroticos gay primeira vezcontos gay onibuscontos eróticos bissexuaiscontos erotico por categoriacontos gay romanticoscontos glscontos gay primeira vezcontos gay ultimoscontos romanticos gayscontos gay romanticosfodasse meu irmaocontos gay primeira vezcontos eroticos entre irmãoscontos eroticos gay 2015contos eroticos gay papaicontos gay 2015contos crosdresserconto crossdresserconto erotico com medicocontos eroticos pai e filho gaysexo gay com porteirocontos eroticos gay 2015negao gordo gaycontos eroticos de pai e filhobig dotados contosenrabado pelo tiocrossdresser uolsalva vidas gostososconto gay virgemúltimos contos gaysconto gay padrechupando meu amigo heterocontos exibicionistaconto gay professorcontos eroticos gay novinhoscontos eroticos incestos gayultimos contos eroticos gaysfodasse meu irmãocontos eroticos troca trocame comeram no onibuscontos gay familiagay ruivocontos eróticos gay 2015contos romanticos gaysraffa_kacontos crossdresscontos eróticos gay ultimosencoxadosconto gay cunhadocomendo meu enteadocontos eroticos crossdressercontos gay amigoconto gay professorconto gay cunhadofaxineiro gostosoconto heterocontos eróticos dominaçãocontos eroticos meu cunhado