Os Feiticeiros de Waverly Place - Justin e Max


BY: adamdavenport609 Max estava animado para tentar ao mesmo tempo em que estava nervoso, havia acabado de aprender aquele feitiço, era algo simples: fazer a varinha do adversário vibrar tornando difícil assim acertar seu alvo. Mas Max estava pensando em outro uso para o feitiço.

Porem para isso ele ia precisar de duas varinhas e estava pensando em usar a vara do seu irmão.

Para isso ele teria que entrar no quarto do irmão que estava dormindo.

Ele entra sorrateiramente. Justin esta dormindo sem camisa. É impossível não notar seu corpo definido. Para um verdadeiro nerd ele tinha o corpo de um atleta, o vigor também, Justin sempre escutava a cama ranger do seu quarto repetidas vezes. Na maioria acompanhava o som, se masturbando no mesmo ritmo que o irmão mais velho.

Ele procurou pela vara do irmão que estava em cima de uma escrivaninha. Pronto, agora que tinha oque precisava Max se retira até a sala onde seu pai os ensinava magia.

Ele segura a vara do irmão com uma das mãos enquanto com a outra aponta sua própria varinha.

- Vibranium

A vara do justin de repente parece ganhar vida própria, tremendo forte como se fosse de fato um vibrador.

Oque vai acontecer agora deixa o Max tão nervoso quanto o deixa excitado.

Ele abre seu short e o desce até a perna. Depois ele abaixa sua cueca de super heróis também na mesma altura.

Seu traseiro redondinho fica amostra e seu botãozinho virgem pisca como que pedindo logo pela vara do seu irmão.

Max a segura firme, ainda que tremendo, e a toca na ponta do seu cuzinho fazendo seu corpo todo tremer.

A vara tremia forçando mais sua entrada dentro do caminho apertadinho como de fato um macho tirando a virgindade de sua fêmea pela primeira vez.

Max sentia um calor que não era normal. Seu pau estava mais duro do que jamais esteve ainda que ele nem ao menos pensasse em se masturbar.

Seu bumbum guloso ia engolindo cada vez da vara do irmão que vibrava dentro de sí. Ele foi a engolindo até a hora que sobrou apenas uma pequena ponta da vara pra ele segurar com as pontas do dedo

Mas então a vara toca um ponto dentro dele, um ponto que ele nem sabia que existia. Um ponto sensivel que o fez levar uma espécie de choque de prazer que percorreu por todo seu corpo.

Seu pau gozou na hora jatos que cairam na mesa de centro. O choque do orgasmo que ele estava sentindo faz seu corpinho todo suar, fazendo a vara escorregar para dentro do seu anus.

- Aaaaah - Max não consegue segurar o grunhido que é uma combinação de surpresa, dor e prazer.

O grunhido não passa despercebido, Max houve passos vindo para sala, ele corre sem jeito com a calça nos pés até atrás de uma poltrona.

- Max - Um justin sem camisa, suado e de calça moleton esta na porta - escutei um gemido, aconteceu alguma coisa?

- JusTIM - a vara dele ainda vibrava dentro de mim - não é NAda, eu só AcorDEi mais ceDO.

Ele olhava pra max preocupado

- tem certeza que esta tudo bem?

- HumHuuuuuum - disse Max mordendo o labio inferior.

Seu irmão mais velho olha preocupado. Ter Justin lá só estava piorando, Max já havia gozado, a vara estava como quando Justin brincava de fazer cocegas em sua barriga quando ele era mais novo. É bom mas quando continua por muito tempo começa a faltar ar.

- oque é isso? - ele ve o esperma branco do irmãozinho espalhado na mesinha - estava preparando alguma poção?

Max fica vermelho, mas concorda com a cabeça.

- eu EStava... - Ele buscava tempo pra pensar, mas o atrito dentro dele que a vara do Justin estava fazendo o atrapalhava pensar direito -COM dificuldades de DORmirrrrr - a forma como a vara aperta forte sua próstata faz com que seus olhos comecem a lacrimejar.

Justin levanta dois dedos e passa na mesa pegando parte da espeça porra de Max. Ele poem na boca. Ver seu irmão provar seu esperma faz com que seu pequeno pau levante novamente.

- o gosto ta muito suave - ele engole - acho que a poção do sono é um pouco mais doce.

A vara começa a entrar mais do que deveria, lhe causando uma sensação como fortes puxadas na região do estomago. A sensação faz escorrer lagrimas.

- Ei, calma Max, se quiser pode dormir comigo... a cama é apertada mas se quiser pode se abraçar em mim..

- mmmm - O Justin tava fazendo seu pau endurecer, mas a vara estava lhe causando desconforto, ainda que ela estivesse esfregando sua próstata

- Não precisa ficar preocupado, você esta grandinho mas sempre será meu irmãozinho caçula.

- JUSTIN, ME AJUDA! - Diz Max não aguentando mais, Justin da a volta na poltrona e vê seu irmãozinho nu, agora que não precisa mais fingir ele se contorce e seu rosto pode finalmente demostrar toda a dor que estava sentindo.

- Max, oque aconteceu? - Justin tentava focar nos olhos do seu irmão, mas não conseguia se prender apenas a eles, olhando tambem seu corpo e principalmente seu pênis que pingava pré gozo.

- Justin eu... - ele começa a derramar lagrimas, estava com muita vergonha.

- Max - Justin segura nos seus ombros oque cria um choque estático que passa por todo o seu corpo, seus olhos estavam colados aos de Max oque o deixou mais nervoso -você pode me contar qualquer coisa.

O rosto do Justin estava muito próximo de max, seu pau estava pulsando e o de Justin já começava a doer por estar ainda preso dentro da calça.

Max se aproxima de seu irmão mais velho e conta tudo oque aconteceu em seu ouvido.

Justin também fica vermelho, sabia que seu irmão já estava na idade de ter curiosidade sobre o próprio corpo, mas não imaginava que ele já estaria tentando esse tipo de coisa.

- calma Max, eu vou te ajudar, vira de costas - max então vira de costas segurando na poltrona e abre as pernas para facilitar para o irmão.

- JusTIIIIN, por faVOR rapidOOO- Max choramingava já sentindo pontadas na boca do estomago.

- Calma max, minha varinha tem uma magia de recuperação, posso atrair ela até mim - as costas do irmão suavam e seu traseiro redondinho estava a alguns centímetros de seu rosto. Justin podia ver as pregas vermelhas de terem sido maltratadas pela vara que forçou a entrada pelo buraco do seu irmão mais velho. Ele pôs a ponta do dedo bem de leve não penetrando mas apenas tocando. Max sente um arrepio e dor pela queimadura.

A vara começava a voltar passando novamente pelo seu reto até a medida em que ele ficou com uma das pontas da vara para fora do cu tocando no dedo de Justin.

Nessa posição a ponta da vara estava novamente acertando e golpeando forte sua próstata. Justin segurou a ponta da vara para puxar ela para fora, mas não antes do Max gozar jatos de porra na poltrona.

Justin vendo já podia sentir o pré gozo melecando sua calça moleton.

- Justin... muito... muito obrigado eu...

- Max, não foi nada, eu sou seu irmão mais velho, agora vamos cuidar dessa sua queimadura.

Max tentou dissuadir Justin mas ele sentia dificuldades de andar e sabia que precisava de cuidados.

- Eu tinha uma pomada magica para esse tipo de queimaduras por aqui - Max tentava pensar porque raios Justin teria feito uma pomada especifica para esse tipo de dor, mas afastou esses pensamentos -pode se deitar na mesinha - disse Justin pegando um dos pequenos jarros da estante.

Max se deita e sente a porra que ele havia atirado na mesa antes do Justin entrar. Uma pequena vingança do destino por ter deixado Justin beber seu esperma sem saber.

Justin se senta na poltrona de frente para Max e pede que Max segurar suas pernas para cima. Max obedece mostrando ao Justin seu pequeno botão avermelhado.

- Essa pomada é magica e por isso a ação é rápida, mas eu tenho que passar por todo ele, tudo bem? - Max assenti

Justin então passa dois dedos sobre o pote na pomada esbranquiçada e passa do começo ao fim da rachadura de Max, encostando até nas suas bolas.

O contato superficial da pomada no botãozinho do max causa uma sensação refrescante que lhe trás alivio.

Justin então com um dos dedos decide passar nas pregas, Max adorava a sensação. Justin então penetrou a ponta do seu dedo médio no botão apertadinho do Max, oque o fez gemer de surpresa.

- preciso passar bem nas pregas. - explicou o irmão mais velho, ainda que vendo prazer no rosto do irmão.

Ele gira seu dedo passando a pomada por toda a região. Justin sente o anus do irmão mais novo se contrair contra o seu dedo.

Justin tira seu dedo e levanta. Era impossível disfarçar o grande volume que marcava em sua calça moleton. Max notou na hora.

- Max... - Justin se senta na poltrona e Max se senta na mesinha de frente pra ele ainda nu - esse tipo de coisa... é perigoso, me diz você já tentou... você sabe... fazer isso com alguém antes?

Max negou com a cabeça.

- Bom, na sua idade eu também tinha muita curiosidade, então deixei que um amigo meu chamado Cory me... bem... fudesse. -Max não estava acreditando na conversa que esta tendo com seu irmão - foi uma péssima experiência, ele não ligava muito para mim, apenas se satisfazia independente se me machucasse ou não, oque foi o motivo de eu desenvolver essa pomada magica... oque estou querendo dizer é que não tive uma primeira vez gay muito legal... então se você ainda tiver curiosidade você pode falar comigo... eu sou seu irmão mas...

- Justin - Max olhava pro corpo suado do seu irmão, sabia que o seu também estava, não só isso, sabia também que o irmão mais velho estava de pau duro lhe vendo pelado e suado.

- diga Max - Justin já lambia os lábios imaginando oque estava por vir.

- eu quero - Max disse fazendo seu irmão mais velho sorrir.

- Ótimo, vamos começar do básico, você já beijou na boca? -Max ficou vermelho, não precisou responder para Justin saber a resposta. - vem cá, levanta.

Justin segura nos ombros de Max o levantando. A medida que Justin se aproxima todos os neurônios de Max pedem pra ele fugir, mas a maneira que Justin o segurava e até mesmo o choque do que estava acontecendo. A unica coisa que Max consegue fazer é institivamente abrir a boca.

A língua do Justin invadiu a boca de Max. O irmão menor apenas deixou que a lingua do seu irmão mais velho percorresse a região.

Justin estava de olhos fechados, independente do seu discurso ele também estava aproveitando o momento. Já max estava de olhos abertos, ainda descrente que tudo aquilo tivesse acontecendo.

Justin passou as mãos do ombro as costas do irmão e descendo chegou até a cintura de seu irmão menor a qual ele segurava com força. Max no abraço do irmão mais velho tinha espaço apenas para por suas mãos no peitoral suado e nu de Justin.

Conforme o beijo começava a ficar mais quente as mãos de Justin desceram até o traseiro avantajado e redondo do irmão. O aperto forte que ele deu fez Max se contorcer e seu pênis ter uma dolorida ereção mesmo após já ter gozado duas vezes.

Justin então começa a separar retirando a língua e Max sem saber oque fazer fecha os dentes antes dos lábios do irmão saírem, o mordiscando. Justin se surpreende com o equivoco do irmão.

- j-justin, desculp...

- ei - Justin segura o rosto do irmão, ambos estavam olhando um nos olhos do outro - foi perfeito.

O irmão mais novo resiste a lhe roubar um beijo.

- agora - disse Justin -vamos ao próximo passo, o sexo oral. - Max olha confuso para o irmão - Não sabe oque é?

Max nega com a cabeça e Justin sorri, era difícil acreditar que o mesmo irmão que roubou sua vara para enfiar no cu era o mesmo que não sabia oque era sexo oral.

- Fica calmo, eu vou te ensinar, se ajoelha. -Max se ajoelha até estar frente a frente com a protuberância na calça moletom de seu irmão. - agora pode abaixar minha roupa - Max lambeu os lábios, sua boca já começa a salivar (oque seria util), max segura o cós da calca e a abaixa, o pau do Justin faz resistência a calça, mas quando ela finalmente solta o pau do irmão mais velho bateu no rosto do irmão.

- Nossa Justin... - A rola de Justin era grossa e grande, tinha a cabeça rosada, Justin era muito higiênico e por isso tinha pouco pelos pubianos. - É grande... o meu um dia vai ficar assim?

Justin sorri e acaricia o cabelo do irmão.

- Claro que vai, mas agora se concentra no que você tem que fazer, você vai chupar o meu pau e deixar ele bem molhadinho pra nossa próxima e ultima etapa.

- chupar? - Max não entendia como isso podia funcionar. - como eu vou chupar um pinto.

Seu irmão perguntava isso ajoelhado, segurando seu membro e olhando pra cima. Tudo isso fez com que seu pau escorresse um fino cordão de pré gozo que faz com que Max encarasse o liquido esbranquiçado que saia do seu irmão mais velho.

- Olha max - Justin necessitava da boca do irmão mais novo trabalhando em seu pau - imagine que é uma mamadeira e que você quer puxar todo o leitinho.

Max toma a figura da mamadeira como literal, faz biquinho e coloca a boca na ponta da cabeça rosada do irmão a ponta da sua língua lambia o leite agridoce de Justin.

Podia até não ser uma chupada convencional, mas ver seu irmão mais novo mamando sua pica como uma mamadeira estava fazendo seu pênis encher a boca de max de gozo que o irmão bebia como se estivesse faminto.

- Arf... Max... arf... isso é bom... mas chupar envolve... arf... enfiar mais do que só a ponta da cabeça... na boca - Justin empurra a cabeça do irmão aos poucos, Max abre a boca o máximo que consegue, mas o espaço estreito faz com que o pênis abra caminho sendo achatado entre a língua e o céu da boca. - cuidado com os dentes - o irmão mais novo poem a língua pra fora para conseguir enfiar mais do irmão dentro dele, mas o pênis desliza até o fundo de sua garganta o fazendo engasgar, Justin retira o pênis da boca do irmão caçula.

- Tudo bem Max? - Max estava tossindo, mas ele não queria demonstrar não saber satisfazer o irmão mais velho - se o pênis é muito grande pra caber na sua boca você não precisa enfia-lo inteiro na bola, é só lamber a base.

Max então em busca de redenção segura no pênis do irmão, e passa a sua língua entre as bolas, seguindo toda a base dura e maciça do pinto de Justin até a cabeça rosada.

Por mais que Justin tentasse ele não conseguiu segurar um jato que espirrou no cabelo castanho do irmão.

- Nossa Max... isso foi bom... mas se continuarmos... não vou ter energia pra ultima etapa.

- e qual é Justin? - Max perguntava se levantando e olhando para o irmão como quem espera pra abrir os presentes de natal.

- Notei que você andou pulando etapas - Justin se senta na poltrona e pega a sua vara que antes estava no cu do irmão, ele a cheira - mas agora esta na hora de ter de fato a minha vara entrando no seu cu.

Justin masturbava devagar. O anus de Max que ainda estava molhado pela pomada estava piscando.

- Vem, senta no colo do seu irmão mais velho.

Max sobe na poltrona, Justin segura a cintura de seu irmão e o posiciona até a cabeça do seu pau tocar no botão de Max o fazendo se arrepiar.

- Max... se você não quiser...

O irmão mais jovem em resposta desce o quadril. A cabeça rosada do irmão desaparece nas pregas apertadas do Max. Justin adorava a sensação do espaço apertado e quente do irmão.

Max desliza mais, a próstata de Max tava dolorida, mas não evitou do pênis do seu irmão mais velho passasse por ela dando uma mistura de dor e prazer.

Max pula. Justin arfa. Max sente as bolas do irmão apertando em seu traseiro. Justin puxa o cabelo do irmão para trás para beijar seu pescoço. Max tem uma dolorida ereção. Justin sente o pau do irmão esfregando em sua barriga. Max rebola na vara do irmão. Justin sua. Max pede mais. Justin segura forte as costas do irmão. Max revira os olhos e jorra uma ejaculação ardida na barriga definida do irmão. Justin passa os dedos na barriga e oferece ao irmão. Max chupa mas não engole, ele oferece em forma de beijo ao irmão para ambos provarem o gosto. Justin goza. Max se sente preenchido pelo esperma morno do irmão. Justin sente o seu esperma escorrer pela borda do buraco do irmão até suas pernas. Ambos estão extasiados.

- Justin... isso foi... muito bom. - os dois agora estavam deitados, abraçados, nus na poltrona.

- Max... sempre que quiser pode contar comigo.

Max agradece a o irmão, selando sua primeira vez com um beijo.



Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
 


Próximo Conto

Guerreiros Wasaby - Jack, Jerry e Milton


Online porn video at mobile phone


contos gay amigocontos gay escolacontos gay últimoscontos crossdresspapaku contosúltimos contos eróticos gayscontos shemalecontos eroticos de pai e filhorego peludorego peludocontos eroticos tio e sobrinhofodasse meu irmaocontos eroticos crossdressercontos gay romanticoscontos eroticos cdzinhasfaxineiro gostosome comeram no onibuscontos eroticos gay novinhosconto gay caminhoneiroconto erotico gay uberraffa_kacontos eroticos tio e sobrinhoconto erotico pai e filho gayabricó gaypadres gostososcara parrudoconto gay cunhadocontos eroticos crossdressercontos eróticos gay ultimosgay ruivocontos shemalesexo gay com dentistaultimos contos eroticos gayprimeira vez conto gaycontos bissexualcontos eroticos gay 2015contos eroticos gay novinhoscdzinha contoscontos eroticos gay 2015lutando de pau duroconto gay virgemsexo gay com porteirocontos eroticos troca trocaenrabado pelo tiocontos eróticos gay 2016sexo gay com dentistacontos eróticos gay famíliaconto encoxadagay chupando caminhoneiroconto gay irmaocontos gay últimospadres gays transandocontos eroticos pedreiroscontos gay familiacontos eroticos meu cunhadocontos eroticos primeira vez gaycontos eróticos gay 2016contos gay primeira vezcontos gays sitebielsabatinicontos eróticos bissexuaiscontos gay onibussexo gay com porteirocontos shemaleconto erotico com padrastoconto crossdressercontos eróticos gay famíliafunkeiro de pau duroconto heterocontos gay romanticoscara parrudosexo gay em baile funkcontos eroticos pai e filho gaycontos gay últimosconto gay mendigo