O moto taxi


BY: galudotesao Como já falei em outros contos aqui nasci e cresci numa favela aqui do Rio de Janeiro e apesar de não morar mais lá sempre vou visitar familiares e alguns amigos. Como não curto muito ficar subindo ladeira sempre recorro ao moto taxi. Sempre vou com o mesmo cara ele até me adicionou no wpp pra quando precisar mandar mensagem.
O Dudu tem 25 anos, natural do interior do Rio Grande do Norte, moreno claro, baixo, corpo normal, cabelo baixo e uma carinha de moleque. Voltando ao conto, depois de um tempo dele add em meus contatos percebi que sempre que eu ficava on line ele vinha puxando assunto. Comecei a ficar interessado, passei a perceber suas qualidades e correspondia seus flertes. Dudu tinha um corpo normal, mas tinha algo mais ali que me deixava doido. Queria ver ele pelado, ver sua rola, bundinha.
Numa vez que fui à favela mandei mensagem pra ele e quando fomos subindo a rua aproveitei pra dar umas encoxadas no Dudu. Meu pau tava meia bomba, mas dava pra sentir com certeza. No caminho ele nada disse me deixou lá e partiu.
Na hora de ir embora chamei ele de novo e resolvi arriscar, subi na moto e colei nele, mas dessa vez com o pau duraço. No caminho fui segurando em sua cintura e logo cheguei no pau e fingi que foi sem querer, como ele não reclamou comecei a apertar a rola dele por cima da roupa. Aos poucos senti a pica endurecendo até ficar duraça. Ele então parou no meio do caminho e disse pra gente ir a sua casa, porém o único problema é que ele divide com outros amigos. Chegando lá tinha um cara deitado na sala vendo TV falamos com ele e fomos direto pro quarto. O Dudu disse que não podíamos demorar muito e também teria de ser tudo na encolha.
Fiquei de joelhos e tirei sua pica pra fora da calça pelo fecho, já tava dura e bem babada. Uma das picas mais babadas que já vi e olha que a minha baba pra caralho. Tirei minha rola pra fora da bermuda também e comecei um boquete no pau do Dudu enquanto punhetava minha piroca. Sua rola tinha uns 17cm era fina com uma cabeça vermelha com a pele cobrindo a cabeça. Cai de boca e engoli a pica toda, ele soltou um gemido baixo. Continuei com a rola na boca fazendo o movimento de vai e vem. O moleque apertou minha cabeça e começou a socar a rola na minha boca. Passei a língua na cabeça fazendo movimentos circulares e enfiei a língua no buraquinho da uretra. Punhetei a pica dele e senti aquele cheirão de rola gostoso subir me deixando mais doido ainda. Mamei com força sugando com vontade. Fiz uma garganta profunda deixando a pica toda babada. Levantei e botei o moleque pra mamar. Ele tava meio desajeitado, mas até que levava jeito pra coisa. Ficou chupando a cabeça do meu pau devagar. Lambia e ficava sentindo o gosto da baba, depois voltava a mamar tentando engolir a rola. A mamada do Dudu tava gostosa demais o moleque tinha uma boquinha quentinha. O foda é que não dava pra gemer muito alto porque seu amigo tava na sala. Dei umas metidas na boca do safado fazendo ele engasgar. Puxei ele e voltei a mamar sua pica com mais vontade ainda. Tava com muita sede de rola. Chupei com força, punhetei e enquanto passava a língua na cabeça o moleque esporrou na minha boca. Uma porra grossa, gostosa demais, ele chega bambeou as pernas. Daí tirei o excesso da porra do Dudu da boca e passei no meu pau e dei uma punhetada e explodi um gozo gostoso. Ele me deu uma toalha pra me limpar e saímos de lá. Quando passamos pela sala o cara roncava de boca aberta.
Depois desse dia nossa conversa ficou mais quente e trocamos vários nudes, vídeos e tal. Chegamos a foder algumas vezes, mas nada demais.


Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
1664 - Guarda-vidas
1665 - Macho casado
1671 - Baile funk
1678 - Foda com o PM
1693 - Gaúcho
1694 - O traficante
1702 - Hostel
1753 - Taxista
1754 - O PM da UPP
 


Próximo Conto

problemas com vizinhos - 4 (capitulo final)


Online porn video at mobile phone


ultimos contos eróticos gayscontos gays 2016conto encoxadacontos eroticos pedreiroscontos eroticos gay novinhosdando pro chefe gaycara parrudoconto gay primeira vezme comeram no onibuscontos gays sitedando pro chefe gaycontos eróticos gay ultimosurso passivopadres gays transandocontos eroticos gay 2015contos gays últimosultimos contos eróticos gayscontos eroticos bissexuaisurso passivoconto gay primeira vezcontos bissexuaiscontos gays siteconto gay ubergay ruivocontos gay romanticosconto gay cunhadocontos gay primeira vezconto erotico gay caminhoneirocontos bissexualcontos de amor gayfodasse meu irmãocontos eroticos gay papaicontos eroticos de medicosconto erotico no tremultimos contos eróticos gayúltimos contos gayscontos eróticos gay 2015fodasse meu irmaocontos eroticos de irmãosultimos contos eroticos gaysconto erotico gay caminhoneirocontos exibicionistacontos gay amigotravesti patycontos de amor gaycontos eroticos gay ultimoscontos eroticos crossdresserultimos contos eroticos gayscontos gay romanticoscontos eroticos gay primeira vezcontos eroticos gay papaigay de calsinhaconto gay realcontos gay familiacontos eroticos entre irmãoscontos eróticos gay primocontos eroticos de irmãosmaludo na praiafodasse meu irmãosexo gay em baile funkconto erotico pai e filho gaycontos eroticos com primoscarteiro gaycrossdresser uolconto gay realcontos crosdresserconto erotico com policialcontos gay amigocontos gays últimoscontos gay 2015fodasse meu irmãogay chupando caminhoneiropapaku contosultimos contos gayspapaku contosmeninos dando o cu pela primeira vezfodasse meu irmãocontos gay familiacontos eróticos crossdressercontos de crossdressercontos romanticos gaysconto erotico gay caminhoneiroencoxadosconto encoxadacontos crossdresserscontos crossdresscontos gay familiaconto gay caminhoneirocontos eroticos gay primeira vezcontos bissexuaisconto erotico com medicoconto gay virgemcontos eroticos de crossdresser