Meninos lutando


BY: Thiago Lightwood O que um pai deveria fazer quando do nada fica com o pau duro enquanto assiste seu filho participando de luta livre? Eu não sei o que deu em mim. Quando Dan anunciou que esse ano ele iria tentar luta livre, eu nem me importei. Todos os anos ele descobria um novo esporte para tentar. Semana passada na ceia ele disse, ”Mae, pai, na próxima quarta-feira teremos nosso primeira de luta livre no colégio. Vocês podem ir?
    ”Claro filho, ” minha esposa respondeu. ” Nos adoraríamos ir. Eu também respondi que iria meio sem vontade. Noites de Quarta eu gostava de sair com meus parceiros para uns barzinhos fechados na nossa cidade, mas de vez eu quando eu tinha que demonstrar interesse no que meus filhos faziam.
    Lá estava eu com minha esposa no ginásio do colégio cheio de crianças gritando e pais assistindo nossos filhos lutando. Quando surgiram os dois primeiros meninos, eu percebi que estava em apuros. Eu não tinha ideia que aqueles garotos iam vestir aqueles roupas justas e pequenas. Dava para você ver tudo, as dobras desenhando suas bundas, suas bolas e o quão grande e grosso eram seus paus estavam. Eu puxei minha jaqueta para o meu colo para poder esconder minha mala. Eu olhei envolta para ver quantos pais estavam passando pelo mesmo. Eu contei uma grande quantidade que estavam sofrendo o mesmo que eu.
    Então apareceu meu filho para partida. Meu deus, eu podia ver o esboço de seu pau tão claramente. Até a borda envolta da cabeça de seu pau era visível através daquela roupa apertada e fina. Seu oponente era... bem digamos que se aquele garoto e eu estivéssemos sozinhos em algum lugar, ele com certeza estaria com meu cacete dentro daquela bundinha redonda dele. Era difícil si concentrar uma vez que eles começaram a si agarrar. Eles si agarraram e Dan segurou o garoto em direção a sua barriga, depois fez uns movimentos e terminou ficando por cima do outro garoto. Dan tinha seus braços envolta do garoto e sua virilha pressionava forte contra a bunda do garoto. Será que ele sentia a bunda do garoto roçando contra seu pau? Será que ele gostava de pressionar seu corpo contra o outro garoto?
    Num flash, o outro garoto se livrou de Dan e atacou meu filho. Meu coração foi à loucura quando eu vi o outro garoto esmagar sua virilha no rosto de Dan. Eu olhei para virilha de Dan para ver se ele já estava com a barraca armada. Você não ficaria com o pau durinho se um garoto passasse sua virilha quente e suada no seu rosto? Dan empurrava sua cintura para cima para se soltar, mas tudo que ele conseguia fazer era mostra mais seu pau e suas bolas enquanto sua roupa apertada contra seu corpo. Isso me deixou determinado a dá uma espiada em meu filho nu, em breve. Seu pau parecia ser quase tão grande quanto o meu. Eu tentei me lembrar qual foi a última vez que o vi nu.
    Dan continuava si contorcendo e arqueando seu corpo para cima até que ele finalmente conseguiu tirar o outro garoto de cima dele. Os dois rolaram na esteira até Dan consegui se agarrar nas costas do outro garoto, abaixo de seus ombros. Dan prendeu o garoto e o segurou tempo suficiente para ganhar a luta.
    O que eu não daria para seguir meu filho até os chuveiros. Eu observei ele desaparecer em direção ao vestiário com alguns de seus companheiros de equipe. Será que ele ficou lá nu com os outros garotos falando sobre sua lutar antes de entrar no banho? Será que ele deu uma checada nos paus dos outros garotos? Será que eles ficaram excitados enquanto tomavam banho? Nesse momento minha esposa já estava pronta para ir para casam eu estava exausto, mas tão excitado. Nós achamos Dan no lado de fora do ginásio. Ele estava falando com os outros garotos. Até o oponente dele estava lá no grupinho.
    ”Pronto para ir pra casa, Dan? ” Perguntou minha esposa.
    ”Claro, mãe, ” Disse Dan. ”Falo com vocês depois manos”, disse ele enquanto si juntava a nós.
    ”Foi uma luta e tanto, filho”, eu disse enquanto botando minha mão sobre seu ombro.
    ”Foi ótimo você ter vindo, pai, ” disse Dan enquanto olhava no meu rosto. Do jeito que seu rosto irradiava alegria, eu sabia que ele tinha adorado me ter assistindo sua luta.
    Naquela noite depois de todo mundo ter dormido, eu tive que sai de fininho para poder bater uma.
    Na manhã seguinte Dan ainda estava falando de sua luta. ”Então o que você achou, pai? ” Perguntou ele no café da manhã.
    ”Foi muito emocionante, ” disse eu. ”Especialmente quando você estava lutando. ”
    ”É, eu não acredito que eu consegui prender Lucas Mendes. Ele é o melhor da minha turma”, falou Dan com orgulho.
    ”Você já lutou contra ele antes? ” Perguntei.
    ”Varias vezes”, Disse Dan. ” O pai de Lucas costumava lutar na época do colégio e eles tem uma esteira de luta livre na casa deles. As vezes nos vamos la para um treino extra”, Dan me contou.
   ”Serio? ” Perguntei. ”O pai de Lucas luta, também? ”
    ”As vezes. Mas maior parte das vezes ele só treina a gente”.
    ”Hmmm, você acha que o pai de Lucas se importaria se eu aparecesse para assistir vocês praticar? ”
    ”Acho que não. Eu vou pra la no sábado. Você quer ir comigo? ” Perguntou Dan.
    ”Claro, acho que vai ser divertido”, Disse para ele.
    Quando sábado chegou, eu não sabia o que esperar. Eu pus uma bermuda folgada para esconder minha virilha, caso eu fique com a barraca armada assistindo os garotos lutando. Um homem elegante, forte vestindo roupas esportivas nos cumprimentou quando tocamos a campainha.
    ”Senhor Jeremias, esse é meu pai. Ele quer me assistir praticando. ” disse Dan alegremente.
    O senhor Jeremias me deu uma checada antes de estender a mão e me cumprimentar. ”Me chamo Jeremias, ” disse ele.
    Cristian”, disse eu apertando sua mão.
   ”Pode entrar”, Disse Jeremias. ”não tenho certeza se virá mais alguém”, adicionou ele. ”Rodrigo viajou e Gabriel ligou dizendo que não estava se sentindo bem. Lucas já está lá embaixo. Vamos começar Danilo?
    ”Vamos”, respondeu meu filho com um sorriso. Ele correu na frente e eu segui Jeremias escada abaixo. No porão, havia duas esteiras grandes grudas uma na outra. Havia bancos envolta das esteiras e para minha surpresa até uma fileira de armários pelas paredes.
    ”Você fez um ótimo trabalho por aqui, Jeremias”, disse enquanto eu percorria o lugar. ”Esse lugar ficou show de bola”.
    ”Eu até botei alguns chuveiros ali”, disse ele apontando barra uma área aberta com 5 chuveiros. Eu estava aliviado por estar usando bermuda folgada. Se Dan e Lucas tomassem banho hoje, eu iriei precisar com certeza de alguma coisa para cobrir meu pau duro e babão.
    ”Aonde foram os garotos? ” Perguntei.
    ”Ah, eles provavelmente foram dar uma olhada nos vídeos de nosso último encontro no quarto dos fundos. Lucas! Danilo! ” Gritou ele, ”vamos começar! ” Alguns segundos depois Dan e Lucas apareceram. Eu fiquei surpreso quando vi Lucas nu somente com um samba canção. Dan passou por mim em direção a um dos armários. Ele abriu e puxou suas roupas. Eu sentei em um banco para vê-lo. Foi difícil não ficar olhando meu filho. Eu esperava que ele fosse usar a roupa que ele usava para a luta, mas ele ficou simplesmente nu. Suas costas na minha direção então eu não consegui ver seu pênis, exceto por um pedaço de pele que apareceu quando ele vestiu uma jockstrap. Quando ele terminou de vestir aquilo, ele correu para esteira e deu uma cambalhota.
    ”Tudo pronto, Senhor Jeremias”, disse Dan.
    ”Ótimo”, respondeu Jeremias. ”Está preparado Lucas? ” Perguntou a seu filho. Lucas balançou a cabeça afirmando e adentrou o a esteira encarando Dan. Eu já estava de pau duro!
    Jeremias tirou aquelas roupas que estava vestindo e as atirou em um banco perto de mim. Ele estava vestindo um daqueles macacões de luta apertado por baixo. A roupa deixava parte deu seu peito e costas expostos. Aquilo malmente cobria seu rabo e da maneira que seu equipamento preenchia a frente, era de se esperar que sua rola escapasse a qualquer momento. Antes de tomar sua posição próximos aos meninos, ele virou para mim e disse, ”É bem quente aqui embaixo. Se quiser si sentir mais confortável sinta-se livre para tirar a roupa. Somos só nós aqui embaixo. Minha mulher nunca veio aqui embaixo. ” Ele piscou para mim e virou para ir treinar os garotos.
    Dan e Lucas foram um contra o outro como da última vez. Lucas era muito bom. Ele não levou muito tempo até segurar meu filho. Eu estava tão excitado assistindo os dois praticamente lutando nus que eu não ouvia nem uma palavra do que Jeremias estava falando para os garotos. Depois de Lucas prender Dan, Jeremias mandou Lucas soltar Dan e repetir o movimento. Em um ponto Dan estava com sua bunda nua na cara de Lucas e Jeremias estava abaixado perto deles checando tudo e gritando para eles, bem, eu quase fui a loucura. Meu pau já estava babando e fazendo uma mancha molhada na minha bermuda. Eu estava com calor e queria tirar minha camisa, mas fiquei pensando no que eles pensariam se vissem aquela mancha de baba na minha bermuda.
    Jeremias separou os dois de novo e os fez repetir os movimentos. Ele olhou na minha direção. ”Se divertindo, Cristian? ” Perguntou.
    ”Éhh, claro, ” balbuciei. Os dois garotos estavam realmente si esforçando dessa vez. Eu assistia com os olhos esbugalhados enquanto D        na agarrava a cintura de Lucas. Ele tentava derrubar Lucas, mas só conseguiu acabar rasgando a cueca dele. Eu pensei que Jeremias ia os separar, mas ele não fez nada enquanto Dan continuava rasgando a cueca samba canção de Lucas. Dan finalmente conseguiu derrubar Lucas na esteira, mas só depois de ter destruído as coisas de Lucas. O pau do garoto pulava ao passo que ele se contorcia no chão. Eu tive vários vislumbres de seu buraquinho. Jeremias se abaixou, agarrou o resto da cueca de Lucas e arrancou completamente o que restava. Ele jogou a cueca para mim. ”Ele não vai precisar mais disso”, gritou ele. A cueca rasgada caiu nos meus pés.
    Eu estava tão excitado nesse momento que não ligava se eles vissem o lugar molhada na minha bermuda. Eu tirei minha camisa. Dan agarrou Lucas e depois pulou. Lucas debateu-se nu. Meu Deus, se o pau dele não estivesse meio duro! O pai dele calmamente alcançou e sentiu as bolas de seu filho e deu uma boa apertada em seu pau. ”Estão preparados para uma pausa? ” Perguntou.
    ”Sim”, disse Dan.
    ”Está bom, vão se lavar. Eu vou trazer algo para vocês beberem. ” Os dois garotos atravessaram para ou chuveiros e Jeremias me perguntou, ”Aceita uma cerveja? ”
    ”Opa, com certeza”, disse. Jeremias subiu as escadas. Dan tirou o que estava vestindo e jogou em um banco. Então ele e Lucas ligaram o chuveiro e começaram a passar sabão. Essa era minha primeira chance de dar uma boa olhada no meu filho nu. O pau deve tinha com toda certeza crescido. Eu não podia evitar, me perguntava como seu pau ficava quando duro, o quanto ele batia uma, e o quanto ele gozava. Será que ele tinha pau babão que nem o meu? Será que ele já tocou alguma vez no seu botãozinho ou ao menos enfiou um dedo dentro dele?
    ”Ta pensando em que? ” Perguntou Jeremias enquanto me entregava uma cerveja gelada. Eu estava tão ocupado olhando os garotos que nem percebi o seu retorno.
    ”Hm, nada”, gaguejei.
    ”Nada... Sei. ” Disse ele enquanto sentava do meu lado. Ele apalpou minha bermuda melada de baba. ”Sei exatamente no que você está pensando”. Ele apertou meu pau e minhas bolas. ”Por que você não bota isso pra fora e deixa seu filho saber como você si sente? ”
    ”O que? ” Perguntei. Não tinha certeza do que realmente havia ouvido.
    ”Você me ouviu” disse jeremias. ”Faz bem para um garoto ver a pica do pai do jeito que ela deve ser. Ajudaria se e disse que seu Danilo já viu meu mastro o mais duro possível? Ele até viu meu pau dar uma ou duas jorradas. ” Adicionou ele enquanto apalpava seu pau.
    Nervoso, eu soltei minha camisa e levantei para abaixar minha bermuda. Dan e Lucas terminavam de ensaboar o corpo e tiravam o sabão de seus corpos lisinhos. Jeremias si ajoelhou e me ajudou a desabotoar e puxar minha bermuda até meus tornozelos. Assim que meu pau estava livre e pulsando no ar, Jeremias agarrou e segurou e começou a passar em seu rosto. Eu não estava preparado para aquilo, mas eu não estava nem ai.
    Dan e Lucas desligaram os chuveiros e começaram a secar seus corpos. Eles viram Jeremias fazendo um bom trabalho no meu cacete e apenas sorriram. Eles assistiam enquanto si secavam e depois vieram se juntar a nós. No meio tempo que chegaram, seus paus já estavam rijos feito pedra. Eles ficaram nos meus lados. Jeremias soltou meu pau para poder chupar o pau de seu filho. Dan si abaixou e agarrou meu pau.
    ”Ele é muito grosso, pai” disse ele. ”Bem grosso”. Ele si ajoelhou e deu uma lambida antes de engolir meu pau. Ter meu filho chupando meu pau era uma das melhores experiências que já tive. Eu so queria ter sido a pessoa a ensina-lo como fazer. Pelo jeito que ele me chupava era obvio que ele já havia praticado bastante. Eu estava com tanto tesão que não aguentava fica em pe. Fui abaixando minha bunda até alcançar um dos bancos e abri minhas pernas. Dan enterrou sua cabeça na minha virilha. Eu corri minhas mãos pelo seu cabelo. Lucas sentou perto de mim. Jeremias tirou a roupa e voltou a chupar o pau de seu filho. Ele colocou a mão na bunda de Dan e sentiu o cuzinho de meu filho.
    Jeremias tirou um pouco do pau de seu filho da boca, o suficiente para perguntar, ”Você já sentiu a bunda de seu filho? ”
    Eu balancei a cabeça negando. ”Essa é a única coisa que já fizemos ... e é maravilhoso ... Eu to perto de gozar. ”
    Dan levantou os olhos e olhou nos meus. Minhas bolas no queixo de meu filho contraídas. O prazer era tão intenso que fiquei com medo de ter um ataque. Eu mordi meus lábios para não gemer alto. O som de meu filho chupando minha porra ecoava pelo locas.
    Eu estava completamente drenado.
    Dan engatinhou para um banco e sentou, aninhando sua cabeça em meu colo. Eu escorreguei minha mão em seu tronco firme até agarrar seu pau. Eu adorava a sensação de segurar o pau de meu filho em minhas mãos. Eu apalpei por alguns segundos até eu começar a bater uma para ele. Haverá muito tempo no futuro para poder chupar e foder ele, mas hoje eu só queria ver como meu garoto ficava enquanto gozava. Eu masturbava ele com maestria até seu corpo ficar tenso e ele gozar para mim. Sua porra jorrou longe. Caiu por todo seu peito. Enquanto gozava ele soltava alguns gemidos fininhos. Eu espalhei sua porra por toda sua barriga. Era ótimo. Eu rastejei para poder lamber a porra do meu filho em seu corpo.
    Jeremias estava fodendo seu filho agora. Ele estava fodendo forte seu cuzinho, e quando Lucas gozou, Jeremias deu estocadas ainda mais fortes até ele deixar até a última gota no cuzinho de seu filho.
    Bem, depois disso, eu nunca perdi um dos nossos encontros de sábado.


Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
 


Próximo Conto

Eu, Marcelo e Raul (Gays)


Online porn video at mobile phone


conto erotico gay com fotosultimos contos eróticos gaysjogadores de futebol gostososcontos gay ultimos contosconto erotico gay padrefunkeiro de pau durorego peludocontos gays últimosconto gay caminhoneiroconto erotico gay ubercontos eroticos gay primeira vezcontos gay escolacontos eroticos cdzinhasgay ruivomrpr2conto gay padrecontos eróticos gay famíliacdzinha contoscontos gay caminhoneiroabricó gaypapaku contoscontos eroticos pai e filho gaycontos gay primeira vezpapaku contoscontos crossdresscontos gay caminhoneirocontos gays últimosultimos contos eróticos gayscontos eróticos gay primoabricó gaycontos crossdressersconto gay padrecontos eróticos bissexuaisconto heteroprimeira vez conto gaydei pro meu professorúltimos contos eróticos gaycontos gay ultimos contosfodasse meu irmaoconto erotico gay ubercontos eroticos de crossdressercontos gays 2016cadeirante pauzudocontos eroticos meu cunhadopapaku contosultimos contos eroticos gayscomendo meu enteadocontos eroticos de medicoscontos romanticos gayscontos gayalutando de pau duroconto erotico gay realconto gay caminhoneirocontos eroticos de irmãosfunkeiros gostososbielsabatiniconto erotico dentistacontos de crosdresserencoxadoscomendo meu enteadocontos eroticos de crossdresserconto gay medicocontos crossdressconto erotico com policialconto gay virgemfodasse meu irmaocontos gay ultimosfodasse meu irmaoconto gay mendigocontos gay onibusconto erotico gay realsalva vidas gostosostravesti patydei pro meu professorfodasse meu irmãoultimos contos eróticos gaysexo gay com meu padrastosexo gay com meu padrastoultimos contos eroticos gaycontos eroticos incestos gaycontos bissexuaiscontos eroticos de crossdresserconto encoxadasexo gay com meu padrastoconto gay medicocontos eroticos gay papaicomendo meu enteadocontos eróticos gay 2015ultimos contos gayscontos eróticos gay primogay chupando caminhoneiropapai me comeu gaypapai me comeu gayconto gay padreconto encoxadaurso passivoultimos contos gaytravesti paty